O que você precisa saber e como prevenir o contágio do coronavirus

26 de março de 2020
5/5

ÍNDICE

O que é coronavírus? (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31 de Dezembro/2019 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS da síndrome em inglês “Severe Acute Respiratory Syndrome”. SARS é causada pelo coronavírus associado à SARS (SARS-CoV), sendo os primeiros relatos na China em 2002.

O SARS-CoV se disseminou rapidamente para mais de doze países na América do Norte, América do Sul, Europa e Asia, infectando mais de 8.000 pessoas e causando entorno de 800 mortes, antes da epidemia global de SARS ser controlada em 2003.

Desde 2004, nenhum caso de SARS tem sido relatado mundialmente.

Em 2012, foi isolado outro novo coronavírus, distinto daquele que causou a SARS no começo da década passada.

Esse novo coronavírus era desconhecido como agente de doença humana até sua identificação, inicialmente na Arábia Saudita e, posteriormente, em outros países do Oriente Médio, na Europa e na África.

Todos os casos identificados fora da Península Arábica tinham histórico de viagem ou contato recente com viajantes procedentes de países do Oriente Médio – Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes e Jordânia.

Pela localização dos casos, a doença passou a ser designada como síndrome respiratória do Oriente Médio, cuja sigla é MERS, do inglês “Middle East Respiratory Syndrome” e o novo vírus nomeado coronavírus associado à MERS (MERS-CoV).

O que o nome significa?

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados em 1937. No perfil em uma microscopia, o vírus parece uma coroa, e foi descrito como “CoronaVírus” em 1965.

Organização Mundial da Saúde (OMS)

A OMS anunciou que o nome oficial da doença causada pelo novo coronavírus passa a ser Covid-19.

“Agora temos um nome para a doença e é Covid-19”, disse o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a repórteres em Genebra.

O Dr. Ghebreyesus pediu ao mundo que lute contra o novo vírus da maneira mais agressiva possível.

A palavra coronavírus refere-se ao grupo de vírus ao qual pertence, e não à última cepa.

O vírus em si foi designado como SARS-CoV-2 pelo Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus.

Os cientistas que fazem pesquisas de coronavirus, vêm clamando por um nome oficial para evitar confusão e estigmatização de qualquer grupo ou país.

“Tivemos que encontrar um nome que não se referisse a uma localização geográfica, um animal, um indivíduo ou grupo de pessoas, e que também seja pronunciável e relacionado à doença”, disse o chefe da OMS.

“Ter um nome é importante para impedir o uso de outros nomes que podem ser imprecisos ou estigmatizantes. Também nos fornece um padrão a ser usado em futuros surtos de coronavírus.”

Contágio

Todos nós nos infectamos com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as pequenas crianças mais propensas a se infectarem com os tipos mais comuns do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43 e HKU1.

Todos os coronavírus são transmitidos de pessoa a pessoa, incluindo os SARS-CoV, porém sem transmissão sustentada. Com relação ao MERS-CoV, existem a OMS considera que há atualmente evidência bem documentada de transmissão de pessoa a pessoa, porém sem evidencias de que ocorra transmissão sustentada.

Modo de Transmissão

De uma forma geral, a principal forma de transmissão dos coronavírus se dá por contato próximo* de pessoa a pessoa.

* Definição de contato próximo: Qualquer pessoa que cuidou do paciente, incluindo profissionais de saúde ou membro da família; que tenha tido contato físico com o paciente; tenha permanecido no mesmo local que o paciente doente (ex.: “que tenha morado junto” ou “tenha sido visitado”).

Período de Transmissibilidade

De uma forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o SARS-CoV e o MERS-CoV. Durante o período de incubação e casos assintomáticos não são contagiosos.

Manifestações Clínicas

Os coronavírus humanos comuns causam infecções respiratórias brandas a moderadas de curta duração. Os sintomas podem envolver coriza, tosse, dor de garganta e febre. Esses vírus algumas vezes podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia. Esse quadro é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos.

Como é feito o diagnóstico dos coronavírus?

O diagnóstico dos coronavírus é basicamente clínico, com avaliação do profissional de saúde e análise dos sintomas.

Para confirmar a presença do vírus, podem ser feitos exames de sangue, fezes e/ou secreções nasais, por meio de testes sorológicos, PCR e cultura viral.

Em casos mais graves, que são raros, pode ser necessária a internação do paciente. O diagnóstico e exames são feitos pelo profissional de saúde, de acordo com a situação de cada caso.

Como é feito o tratamento dos coronavírus?

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano.

No caso dos coronavírus humanos comuns, a maioria das pessoas se recuperam sozinhas após alguns dias, com repouso e consumo de bastante água. Porém, algumas medidas podem ser adotadas para aliviar os sintomas, como:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos).
  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse.
  • Ingestão de líquidos.
  • Repouso.

O que você precisa saber e fazer. Como prevenir o contágio?

  • Higiene das mãos. Lavar as mãos com frequência, utilizando água e sabão ou fazer antissepsia frequente das mãos utilizando álcool gel 70%.
  • Cobrir a boca e o nariz quando tossir ou espirrar. Quando tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou lenço de papel, depois jogar o lenço no lixo e higienizar as mãos. Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
  • Prevenir contaminação. Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca, bem como objetos potencialmente contaminados, como corrimões e maçanetas de porta.
  • Objetos pessoais. Não compartilhar com outras pessoas objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas.
  • Afastamento de outras pessoas. Manter distância mínima de 1 metro de outras pessoas que apresentem sinais ou sintomas de infecções respiratórias agudas, como tosse, espirros e congestão nasal.
  • Evitar o contato pessoal. Evitar apertos de mãos, abraços ou beijos com pessoas, mesmo que assintomáticas, é uma medida que ajuda a reduzir a propagação do vírus.

Como foi o sequenciamento genético no Brasil?

Após a confirmação por exames do diagnóstico de coronavírus, amostras do paciente brasileiro foram enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, seguindo protocolo do Ministério da Saúde.

Cinco pesquisadores começaram a colocar a mão na massa no sequenciamento, em um laboratório do instituto.

Em linhas gerais, há a extração do RNA do vírus; sua transformação no chamado DNA complementar; depois a replicação exponencial de cópias deste DNA, através da chamada reação em cadeia da polimerase. Isso tudo acontece a nível molecular dentro de um líquido transparente.

Após, vem a fase da leitura do material genético. Nela, é usado um equipamento pequeno e com aparência de pen-drive, chamado de sequenciador.

No processo, os brasileiros contaram com a colaboração remota de pesquisadores das universidades de Birmingham, Edinburgh e Oxford, no Reino Unido.

A leitura do material foi finalizada e logo publicada no Virological.org, um fórum mundial de discussão para virologistas, epidemiologistas e especialistas em saúde publica.

“No passado, os cientistas gostavam de guardar esse tipo de dado até publicá-los em alguma revista científica. Atualmente, o consenso é de que, durante uma epidemia, você não deve guardar as sequências, e sim torná-las públicas imediatamente”, explica Ester Cerdeira Sabino.

Jaqueline Goes de Jesus diz que, tecnicamente, a sequência obtida já tem 96% de cobertura, o que configura um genoma completo. A equipe pretende completar esse sequenciamento e estar de prontidão para a análise de eventuais novos casos confirmados no Brasil.

A pesquisadora faz parte de um projeto que tem justamente o objetivo de monitorar e responder em tempo real a epidemias, o Brazil-UK Centre for Arbovirus Discovery, Diagnosis, Genomics and Epidemiology (CADDE), que conta com recursos da Fapesp e do Medical Research Council (MRC). Nascido há um ano, o centro de pesquisas pretende trabalhar não só com coronavírus como o atual como também com arbovírus como dengue e chicungunha.

Boas notícias no período do coronavírus?

Ficar em casa e ter acesso a tanta informação tem deixado as pessoas ansiosas e pensando apenas no pior, mas vale lembrar que também há muita coisa boa acontecendo no meio da incerteza.

Queda nas emissões de CO2

Do ponto de vista econômico, a queda da demanda, as proibições de viagens e o fechamento das fábricas é um pesadelo. Mas para o meio ambiente é uma bênção.

Somente em fevereiro, as emissões de C02 caíram 25%, ou seja 200 milhões de toneladas, na comparação com o mesmo período em 2019, de acordo com o Centro de Pesquisas sobre Energia e Ar Limpo (CREA). A queda equivale às emissões anuais de CO2 da Argentina, Egito ou Vietnã.

A desaceleração chinesa também provocou a queda de 36% do consumo de carvão nas centrais elétricas da China, com uma redução quase equivalente ao consumo de petróleo nas refinarias.

No setor de transporte aéreo, a paralisação quase total do setor provoca a redução de suas significativas emissões de CO2.

Há mais efeitos positivos: em Veneza, a água voltou a ser clara com o fim das incessantes viagens de barcos lotados de turistas.

Será um alívio breve porque, de acordo com especialistas, assim que a crise acabar, as economias tentarão recuperar o tempo perdido.

Pangolim

Alguns citam como possível vetor do vírus os morcegos ou os pangolins, uma espécie em perigo de extinção.

A China proibiu em fevereiro de maneira imediata a venda e o consumo de animais selvagens, uma decisão recebida de maneira favorável pelas organizações ecologistas.

O possível vínculo entre o vírus e o pangolim também parece ter acalmado os amantes da carne selvagem em outras partes do mundo. No Gabão, a venda de carne de caça registrou queda.

Solidariedade

Solidariedade tem aparecido pelo Brasil Moradores de condomínios têm se disponibilizado a ajudar vizinhos idosos ou de outros grupos de risco indo ao supermercado ou à farmácia, por exemplo. Bilhetinhos em elevadores ou no hall de prédios têm os nomes e contatos daqueles que estão dispostos a ajudar. Que bom que a solidariedade e a empatia aparecem em tempos difíceis.

Doação de sangue encheu estoques

A Fundação Pró-Sangue afirmou hoje que os estoques voltaram a subir após campanha realizada semana passada nas redes sociais e na imprensa.

Histórias de cura do novo coronavírus

Mais de 100 mil pessoas no mundo superaram doença. 1 delas no Brasil.

Como aproveitar esse período de reclusão, evitando stress, etc…

O que fazer durante a quarentena? Confira algumas atividades para se distrair:

O isolamento provocado pelo coronavírus pode ser uma oportunidade para aprender um novo idioma ou um instrumento musical, por exemplo.

Aprender a tocar um instrumento

O site Cifra Club possui uma seção chamada “Aprender” que disponibiliza um vasto catálogo de vídeos grátis com músicos profissionais ensinando amadores a tocar instrumentos musicais. É possível assistir a aulas de violão, guitarra, baixo, bateria, canto, teclado, piano, cavaquinho, sax e até aparelhos menos populares, como ukelele, violino e harpa. Os vídeos explicam, em tutoriais, diversas técnicas e dicas para músicos iniciantes e avançados.

Ver filmes e séries

Os serviços de streaming são o passatempo preferido de muitas pessoas. Neste período de isolamento, diversas plataformas disponibilizaram seu catálogo completo, ou parte dele, de graça para os usuários que não possuem assinatura. Assim, é possível assistir a filmes e séries famosos sem precisar pagar.

Amazon Prime Video. O Amazon Prime Video oferece 30 dias de teste grátis para o usuário experimentar a ferramenta. O catálogo inclui filmes recém-saídos do cinema, como as versões live action de Alladin, O Rei Leão e Toy Story 4. Também estão disponíveis séries originais e clássicos do cinema de diversos gêneros para toda a família.

SPCine. A SPCine, empresa de cinema e audiovisual de São Paulo, liberou todo o seu catálogo gratuitamente até o dia 17 de abril. Os usuários podem acessar os filmes de diretores como Hector Babenco, Zé do Caixão e Lúcia Murat pelo do site https://www.spcineplay.com.br/.

Fazer cursos online

Outra atividade possível para a quarentena do coronavírus é fazer cursos online.

A Escola Virtual da Fundação Bradesco (https://www.ev.org.br/Cursos), por exemplo, está oferecendo mais de 80 cursos gratuitos durante o período de isolamento pelo coronavírus, nas áreas de Administração, Desenvolvimento Pessoal, Educação e Pedagogia, Idiomas e Informática, todos com direito a certificado.

A Udemy também está oferecendo dezenas de cursos gratuitos para o período de quarentena, nas áreas de Comunicação, Negócios, Programação, Marketing, Comportamento, Vendas, entre outros. Para encontrar as opções, basta fazer uma busca, abrir os filtros de pesquisa e selecionar a opção “Gratuitos”.

Portal da Fundação Getúlio Vargas (www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuito), mais de 50 opções de cursos estão liberadas para qualquer usuário. São aulas nas áreas de Finanças, Gestão e Projetos. Já o Senai (eadsenaies.com.br) disponibiliza cursos gratuitos nas áreas de Comunicação, Empreendedorismo, Finanças e alguns mais específicos, como Desenho Arquitetônico, Metrologia, Tecnologia da Informação e Noções Básicas de Mecânica Automotiva.

Aprender um novo idioma

Duolingo é um site e aplicativo para celular que oferece pequenas aulas de idiomas estrangeiros de graça e que pode ser útil para passar aprender uma nova língua enquanto se preenche o tempo. Nele, é possível aprender inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, entre outras opções, através de lições diárias de aprendizado de vocabulário e gramática que utilizam textos, imagens e sons. O serviço funciona em formato de game, em que o usuário deve avançar de etapas, conquistando objetivos e aprendendo ao mesmo tempo.

Exercícios: Movimente-se

Sim, não dá pra ir na academia (nem no parque e nem na praça) para fazer exercícios. Mas, isso não pode ser desculpa para você passar o dia todo no sofá. É importante continuar a se movimentar neste período, para manter a saúde em dia (do corpo e da mente) e preservar a imunidade.

Você também pode aproveitar o tempo livre para fazer exercícios físicos em casa, já que o recomendado é não frequentar as aglomerações das academias. Diversos aplicativos grátis oferecem treinos prontos que não precisam de aparelhos para serem realizados, trabalhando grupos musculares específicos e usando objetos comuns para a realização dos movimentos. As séries são exibidas em vídeos explicativos, em que profissionais fazem os movimentos para que o usuário reproduza na prática, onde estiver. Entre as opções, estão o Nike Trainig Club, o 8Fit e o Treino em Casa, todos grátis e disponíveis para Android e iPhone.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Procuramos escritores de conteúdo

Você tem uma história que acha que faria bem no Psy Brasil? Você é um escritor de ciências ou drogas que deseja enviar um artigo?

Se você está fazendo pesquisas no campo dos psicodélicos e gostaria de participar do programa, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco e nos dizer o que você está fazendo!

Nossos tópicos: Plantas psicodélicas e curativas, Arte, Sabedoria, Evolução, Estudos da mente, Universo, Festivais, Ciência, Música e outros.