Punk 57 PDF + Playlist

Punk 57 eBook + Playlist

5/5
Punk 57 eBook - Relaxe e vá falar com alguém. Há toneladas de garotas bonitas aqui.

Penelope Douglas, autora de best-sellers do New York Time, USA Today e Wall Street Journal, chega este mês à The Gift Box Publishing. A autora teve seus livros traduzidos para mais de quatorze idiomas. Penélope que mora em Las Vegas.

Nascida em Dubuque, Iowa, ela é a mais velha de cinco filhos. Penelope frequentou a University of Northern Iowa e se formou em Administração Pública porque seu pai disse: “Basta se formar e obter um maldito diploma!” Ela então fez um mestrado em Educação em Ciências na Universidade Loyola em Nova Orleans porque ela odiava Administração Pública.

Uma noite, ela disse ao segurança do bar onde trabalhava que o filho dele era gostoso e, três anos depois, ela se casou. Com a criança, não com a segurança. Eles se reproduziram, mas apenas uma vez. Uma filha chamada Aydan. Penelope adora doces, “The 100”, e vai às compras na Target quase diariamente…

Playlist

“Bad Girlfriend” de Theory of a Deadman
“Bleed It Out” de Linkin Park
“Blow Me (One Last Kiss)” de P!ink
“Colors” de Halsey
“Dirty Little Secret” de All-American Rejects
“Do You Know Who You Are?” de Atreyu
“Happy Song” de Bring Me the Horizon
“I Think We’re Alone Now” de Tiffany
“Lose Yourself” de Eminem
“Love the Way You Lie” de Eminem
“More Human Than Human” de White Zombie
“Mudshovel” de Staind
“Sk8er Boi” de Avril Lavigne
“So Cold” de Breaking Benjamin
“Square Hammer” de Ghost
“Stupid Girl” de Garbage
“True Friends” de Bring Me the Horizon
“Where’d You Go” de Fort Minor
“Wildest Dreams” de Taylor Swift

CAPÍTULO 1

Caro Misha,
Então, eu já lhe disse a minha vergonha secreta?
E não, não é assistir Teen Mom1
como você faz. Vá em frente e tente negar. Eu sei que
você não tem que sentar-se lá com sua irmã, cara. Ela tem idade suficiente para assistir TV
sozinha.

Não, na verdade, é muito pior, e eu estou um pouco envergonhada de dizer-lhe isso. Mas
eu acho que os sentimentos negativos devem ser liberados. De vez enquanto, certo?
Você vê, há uma menina na escola. Você conhece o tipo. Líder de Torcida, popular,
consegue tudo o que quer… Odeio admitir isso, especialmente para você, mas há muito tempo eu
queria ser ela.

Parte de mim ainda deseja isso.
Você iria absolutamente odiá-la. Ela é tudo o que não podemos ser. Quer dizer,
espontânea, superficial… O tipo de pessoa que não mantém um pensamento em sua cabeça por
muito tempo ou então ela precisa de uma soneca, certo? Eu sempre fui fascinada por ela,
embora.

E não revire os olhos para mim. Eu posso sentir isso.
É só que… dado todos os seus atributos detestáveis, ela nunca está sozinha. Você sabe?
Eu meio que invejo isso. Ok, eu realmente invejo isso.
É realmente uma merda ficar sozinha. Estar em um lugar cheio de pessoas e sentir como
se eles não quisessem você lá. Ter aquela impressão como se estivesse em uma festa que não foi
convidado. Ninguém sequer sabe o seu nome. Ninguém quer saber. Ninguém se importa.
Será que eles estão rindo de você? Falando sobre você? Será que eles estão zombando
de você como se o seu mundo perfeito seria muito melhor se você não estivesse lá, atrapalhando
a sua visão?

Será que eles estão apenas desejando que você pegue a dica e saia?
Sinto-me como se estivesse sobrando.
Eu sei que é patético querer um lugar entre outras pessoas, ser notado, e sei que você vai
dizer que o melhor seria ficar sozinho do que ficar no meio da multidão e que esse desejo seria
errado, mas… eu ainda sinto necessidade disso o tempo todo. Você já sentiu isso?
Pergunto-me se a líder de torcida sente o mesmo. O que será que ela sente quando a
música para e todos vão para casa? Quando o dia acabou e ela não tem ninguém para entreterse? Quando ela remove a maquiagem, desfazendo do rosto perfeitamente elegante que usou
durante todo o dia, fazendo os demônios que ela mantém enterrados começar a jogar com ela
quando não há mais ninguém para jogar?
Eu acho que não. Os narcisistas não têm inseguranças, certo?
Deve ser legal.
O meu telefone vibra a partir do console da minha caminhonete, e eu desvio o olhar da
carta de Ryen para ver outro texto rolando.
Droga. Eu estou tão atrasado.

Os caras sem dúvida estão se perguntando onde diabos estou, e ainda falta uns vinte
minutos para chegar ao armazém. Por que não posso ser o baixista invisível para ninguém se
preocupar?
Eu fico olhando para suas palavras de novo, correndo sobre a frase na minha cabeça.
Quando ela remove a maquiagem, desfazendo do rosto perfeitamente elegante que usou durante
todo o dia…

Essa linha realmente me chamou atenção na primeira vez que li esta carta alguns anos
atrás. E as cem vezes desde então. Como ela pode dizer algo tão simples e ainda assim ser tão
grandioso?
Eu volto e termino de ler a última parte, já sabendo a forma como a carta termina, mas
amo a sua atitude e a forma como ela me faz sorrir.
OK, desculpe. Eu acabei de dar uma pausa no Facebook, então me sinto melhor agora.
Não tenho certeza quando me transformei em uma idiota, mas estou feliz que você se acostumou
com isso.

Vou andando.
Então, só para esclarecer as coisas do nosso último argumento, Kylo Ren NÃO é um
bebê. Você entende? Ele é jovem, impulsivo, e está relacionado com Anakin e Luke Skywalker. É
claro que ele geme! Como isto é uma surpresa? E ele vai se redimir. Aposto com você. Diga seu
preço.

Tudo bem, eu tenho que ir. Mas sim, para a resposta da sua pergunta, a letra que você
me enviou da última vez parece ótima. Continue assim, e eu mal posso esperar para ler a música
inteira.
Boa noite. Bom trabalho. Durma bem.
Eu provavelmente vou parar de escrever de manhã,
Ryen
Eu dou uma risada de sua referência ao filme Princess Bride2
. Ela está dizendo isso por sete anos.

No primeiro ano, fomos obrigados a escrever um ao outro como parte de um projeto da
quinta série, colocando os alunos em sua classe em contato com os alunos da minha.
Mas depois que o ano escolar terminou, nós não paramos. Mesmo que vivemos a pelo
menos uns 48 quilômetros de distância um do outro e temos o Facebook agora, continuamos a nos
comunicar dessa forma, pois isso de uma certa maneira nos mantém especial.
E eu não assisto Teen Mom. A minha irmã de dezesseis anos assiste, mas uma vez acabei
assistindo sem querer. Eu não sei por que disse a Ryen. Eu sei que lhe dei munição para me
provocar, caramba.

Eu dobro a carta de volta, os vincos gastos do papel preto ameaçando rasgam-se de tanto
desdobrar e leio ainda mais uma vez. Muita coisa mudou em nossas cartas ao longo dos anos. As
coisas que falamos, os temas que geralmente causava a nossa briga ainda mais, a letra dela… a
escrita que passou de uma grande caligrafia sem lapidação de uma menina que acabará de
conhecer a letra cursiva, para uma firme, confiante de uma mulher que sabe quem ela é.

Mas o papel não muda nunca. Nem mesmo a tinta prateada que ela usa. Ver seus
envelopes negros na pilha de correspondência no balcão da cozinha sempre me dá uma boa dose
de adrenalina.

Deslizando o papel no meu porta luva, um dentre outros lugares favoritos para deixar as
cartas de Ryen, eu pego a minha caneta, pairando-a sobre o bloco de notas que está no meu colo.
“Espalhe em sua bravura, linha dos olhos e dos lábios,” eu digo baixinho enquanto
escrevo no papel, “cole as rachaduras e pintura ao longo dos rasgos.”

Eu paro e penso enquanto puxo o meu lábio inferior entre os dentes, roçando no piercing
que esta lá. “Um pouco aqui,” murmuro, as letras girando em minha cabeça, “para cobrir as
olheiras sob seus olhos, e um pouco de rosa em suas bochechas para espalhar as mentiras.”
Eu rapidamente anoto as palavras, meu rabisco pouco visível dentro do carro escuro.
Eu ouço meu telefone dar um bip novamente, e eu vacilo. “Tudo bem,” Eu rosno,
querendo que os textos malditos parassem. Meus companheiros de banda não podem ficar em
uma festa sem mim por cinco minutos?

Eu coloquei a caneta no papel novamente, tentando terminar o meu pensamento, mas eu
paro, procurando me concentrar de novo. Que diabos vem em seguida? Um pouco aqui para
cobrir as olheiras sob seus olhos…

Eu aperto meus olhos fechados, repetindo a linha uma e outra vez, tentando lembrar o
resto.

Deixei escapar um suspiro. Merda, a inspiração foi embora.
Droga.
Eu tampo a caneta, jogando ela e o bloco de notas sobre o assento do passageiro do meu
Raptor3
.
Eu penso sobre a sua última frase. Diga seu preço, hein?
Bem, que tal falarmos sobre um telefonema, Ryen? Deixe-me ouvir sua voz pela
primeira vez?
Mas não. Ryen gosta de manter nosso status como somente amizade. Isso funciona,
afinal. Por que correr o risco de perdê-lo alterando-o?
E ela está certa, eu acho. E se eu ouvir sua voz e suas letras tornar-se menos especiais

para mim? Eu começo a imaginar a sua personalidade através de suas palavras. Isso mudaria se eu
ouvir sua voz.
Mas e se eu ouvir a voz dela e gostar disso? E se o riso no meu ouvido ou sua respiração
no telefone me assombrar tanto quanto suas palavras, e eu quiser mais?
Eu já estou obcecado o suficiente com suas cartas.

É por isso que estou sentado na minha
caminhonete em um estacionamento vazio, relendo uma de suas cartas antigas, porque elas
inspiram a minha música.
Ela é a minha musa, e ela deve saber disso agora. Estou usando-a como um trampolim,
por anos, enviando minhas letras para ela ler.
Meu telefone toca, e eu olho para baixo para ver o nome de Dane.
Deixo escapar um suspiro forte e atendo. “O quê?”
“Onde você está?”
“Eu estou a caminho.” Eu ligo a caminhonete e coloco-a em marcha.
“Não está, você de novo deve está sentado em algum estacionamento escrevendo letras,
não é?”

Eu rolo meus olhos e desligo a chamada, jogando o meu telefone no banco do
passageiro.
Então, dirigir me ajuda a pensar. Ele não precisa da minha bunda só porque eu não posso
ajudá-lo quando as ideias aparecem.
Dirijo em direção a rua, e acelero para chegar no antigo armazém fora da cidade. Nossa
banda está hospedando uma noite do desafio para arrecadar dinheiro para a nossa turnê de verão
daqui a poucos meses, e mesmo que eu pense que nós poderíamos apenas fazer alguns shows —
talvez juntar-se com algumas outras bandas locais — Dane pensa que algo diferente iria trazer
uma multidão maior.
Eu acho que logo nós vamos descobrir se ele está certo.
O frio amargo de fevereiro corta através do meu casaco, e eu ligo o aquecedor e ligo meu

farol alto, a luz ampla lança um brilho profundo na escuridão à frente.
Este é o caminho para Falcon’s Well, onde Ryen vive. Se eu continuar, vou passar pelo
armazém, pelo desativado Cove — um parque de diversões abandonado — e, eventualmente, vou
chegar em sua cidade. Já pensei isso muitas vezes desde que tenho minha licença para dirigir,
tenho sido tentado a dirigir até lá, a minha curiosidade esmagadora, mas eu nunca fiz. Como
disse, não vale a pena o risco de perder o que temos. A menos que ela concorde com isso também.
Eu me inclino para o banco do passageiro e empurro o bloco de notas e outros
documentos a distância, procurando meu relógio. Eu tinha deixado aqui ontem quando lavei o
exterior da caminhonete, e é uma das únicas coisas que sou responsável e tenho maior cuidado
para não perder. É uma relíquia de família.
Mais ou menos.
Eu o encontro e seguro o volante, colocando a camurça preta em volta do meu pulso com
um relógio inserido entre os dois suportes. Isso tinha sido do meu avô antes dele passar para o
meu pai no dia do seu casamento, e depois ser passado a seu filho primogênito. Meu pai
finalmente me deu no ano passado, apenas para eu perceber que ele tinha perdido a peça original
do relógio. Um antigo relógio Jaeger-LeCoultre que tem estado na família há oitenta anos.
E eu vou encontrá-lo de novo. Mas até então estou preso com um pedaço de lixo
falsificado em seu lugar na pulseira do relógio do meu avô.
Eu termino de colocar e olho para cima, vendo algo na estrada à frente.

Quando chego mais perto, eu vejo uma forma se movendo ao longo do lado da estrada,
um cabelo loiro amarrado em um rabo de cavalo, jaqueta preta, e tênis de corrida de néon azul
inconfundível.
Você tem que estar brincando comigo. Puta que pariu.
Meus faróis brilham nas costas da minha irmã, iluminando-a na noite escura. Eu desligo
a minha música quando ela empurra a cabeça sobre o ombro, finalmente, percebendo que alguém
está lá.
Seu rosto relaxa quando vê que sou eu, e ela sorri, continuando sua corrida.
E ela tem seus malditos fones de ouvido, também. Precauções de segurança
impressionante, Annie.
Eu diminuo a velocidade da caminhonete, abaixo a janela do lado do passageiro, e paro
ao lado dela. “Você sabe o que você se parece?” Eu abaixo para olhá-la, a raiva faz com que meu
punho aperte em torno do volante. “Doces para um serial killer!”
Deixando escapar uma risada silenciosa, ela balança a cabeça e corre, obrigando-me a
acelerar também. “E você sabe onde estamos?” Ela argumenta. “Na estrada entre Thunder Bay e
Falcon’s Well. Ninguém nunca usa esta estrada. Eu estou bem.” Ela arqueia uma sobrancelha para
mim. “E você soa como o papai.”
Eu franzo a testa em desgosto. “A,” eu digo. “Estou nesta estrada, então não, não está
vazia. E B. Não agite sua cabeça para mim só porque você é burra o suficiente para correr no
meio do nada durante a noite, e eu não quero que você seja estuprada e assassinada. E C. Isso foi
desnecessário. Eu não soo como o papai, por isso não venha me dizer uma merda como essa
novamente. Não é legal.” E então eu grito, “Agora entre na maldita caminhonete.”
Ela balança a cabeça novamente. Assim como Ryen, ela gosta de me provocar.

Annie é a minha única irmã, e apesar da minha relação menos do que estelar com nosso
pai, ela e eu nos damos muito bem.
Ela continua a movimentar-se, respirando com dificuldade, e eu noto as olheiras sob os
olhos e o olhar afundado de suas bochechas. Um desejo de repreendê-la aparece, mas eu não faço.
Ela trabalha muito duro, e não está quase dormindo.
“Vamos,” eu digo a ela, ficando impaciente. “Sério, eu não tenho tempo para isso.”
“Então o que você está fazendo aqui?”
Eu olho para a estrada vazia para ter certeza que não estou desviando o foco. “É aquela
coisa de noite do desafio esta noite. Estou aparecendo por lá. Por que você não está em uma pista
bem iluminada no parque com a segurança de outros 20 corredores ao redor fazendo o mesmo?
Huh?”
“Pare de bancar a minha babá.”
“Pare de fazer coisas estúpidas,” retruco.
Quero dizer, o que diabos ela está pensando? É ruim o suficiente estar aqui sozinho
durante o dia, mas à noite?
Eu sou um ano mais velho, graduando-me em maio deste ano, mas normalmente ela é a
única responsável.
E isso me lembra de algo. “Ei,” eu resmungo. “Você pegou sessenta dólares da minha
carteira esta manhã?”

Notei que faltava, e eu tinha acabado de retirar o dinheiro ontem. Eu não o gastei, e esta
é a terceira vez que meu dinheiro desaparece.
Ela coloca a carinha triste de dez anos que sabe que funciona comigo. “Eu tive que
comprar alguns materiais do projeto de ciência, e você nunca gasta o seu dinheiro. Ele não deve ir
para o lixo.”
Eu rolo meus olhos.
Ela sabe que pode simplesmente pedir ao nosso pai por mais dinheiro. Annie é o seu
anjo, então ele vai dar-lhe qualquer coisa que ela quiser.
Mas como eu posso ficar bravo com ela? Ela sai, e é uma criança feliz. Qualquer coisa
que posso fazer para fazê-la mais feliz, eu faço.
Ela sorri, provavelmente, vendo-me ceder, e se joga para a caminhonete, agarrando-se a
moldura da janela e pulando para cima da cabine por debaixo da porta. “Ei, você pode me pegar
uma cerveja?” Ela pergunta. “Uma cerveja gelada no seu caminho para casa do armazém? Porque
nós dois sabemos que você só vai ficar lá por cinco minutos a menos que encontre uma garota
gostosa que o atraia e seja sociável, certo?”
Eu dou uma risada para mim mesmo. Imbecil.
“Tudo bem.” Eu aceno. “Entre na caminhonete, e você pode ir ao posto de gasolina
comigo. Que tal isso?”
“E alguns caramelos,” acrescenta ela, ignorando o meu pedido. “Ou qualquer coisa
mastigável.” Ela então se afasta para fora da janela, descolando-se em um ritmo mais rápido no

final da rua para longe de mim.
“Annie!” Eu acelerei para me aproximar dela. “Agora.”
Ela olha para mim, e ri. “Misha, meu carro está logo ali!” Ela aponta adiante. “Veja.”
Eu viro meu olhar mais longe da estrada e vejo que ela está certa. Seu MINI Cooper azul
está bem perto, esperando por ela.
“Vou encontrá-lo em casa,” ela me diz.
“Você terminou sua corrida, certo?”
“Simmmmm.” Ela inclina a cabeça com um aceno dramático. “Eu vou te ver quando
chegar em casa, ok? Vá buscar minha cerveja e doces.”
Dou-lhe um sorriso divertido. “Eu gostaria de poder fazer isso, mas não tenho dinheiro.”
“Você tem dinheiro em seu console,” ela joga essas palavras. “Não aja como se você não
esteja cheio de dinheiro espalhado em todos os lugares, em vez de colocar as coisas no seu devido
lugar. Aposto que você tem uma centena de dólares em toda a caminhonete.”
Eu bufo. Sim, esse sou eu. O mau, irmão mais velho, que não escolhe a si mesmo e come
pedaços de mussarela no café da manhã.

Eu piso no acelerador e sigo na estrada, mas ouço um grito atrás de mim.
“E algumas batata chips!”
Eu a vejo no meu espelho retrovisor, as mãos emoldurando sua boca enquanto ela grita.
Eu buzino duas vezes, deixando-a saber que a ouvi, e continuo à frente, parando na frente de onde
está seu carro.
Vejo-a sacudir a cabeça no espelho, me achando muito arrogante, porque não vou sair até
que ela esteja segura no carro dela.
Desculpe, mas sim. Não vou deixar minha linda, irmã de dezesseis anos, em uma estrada
escura, às dez horas da noite.
Ela puxa as chaves fora de seu bolso do casaco, abre a porta, e acena para mim antes de
entrar. Quando vejo os faróis ligados, coloco a caminhonete na estrada novamente e finalmente
vou para o meu destino.
Acelerei e segui meu caminho, descendo a estrada em direção ao armazém abandonado.
Seus faróis desapareceram de vista no meu espelho quando passei por cima de uma pequena
colina, e a preocupação me fez arrepiar. Ela não parece muito bem. Eu não acho que está doente,
mas ela parece muito pálida e cansada.
Basta ir para casa e ficar na cama, Annie. Pare de se levantar às 4:30 da manhã, e
tenha uma boa noite de sono.
Ela é perfeita por nós dois. A 4.14 GPA
4
, estrela da equipe de vôlei da nossa escola,
treinadora do time de futebol das meninas, para não mencionar os clubes e projetos extras que ela
assume…

Minhas paredes do quarto estão cobertas de cartazes e marcador preto de escrever letras
em todos os lugares. Suas paredes estão cobertas com prateleiras de troféus, medalhas e prêmios.
Se ao menos todos pudessem aproveitar a energia que ela parece ter.
Eu me dirijo para a estrada de cascalho, dando algumas voltas, e vejo uma clareira à
frente, rodeada por árvores escuras. O enorme edifício está alto e imponente na minha frente. A
maioria das janelas estão quebradas, e eu já posso ver as luzes no interior e as sombras das
pessoas que se deslocam ao redor.
Eu acho que eles usavam esse armazém para produzir sapatos ou algo assim, mas uma
vez que Thunder Bay tornou-se uma comunidade afluente, rica, a produção foi transferida para a
cidade, mantendo a poluição sonora longe dos ouvidos frágeis e narizes de seus moradores.
Mas o armazém, embora em ruínas, ainda tem seus usos. Fogueiras, festas, Noite do
Diabo… É um espaço para o caos agora, e esta noite é nossa.
Depois de estacionar, eu saio da caminhonete e a tranco, mais consciente de proteger as
cartas de Ryen e meu bloco de notas do que a minha carteira guardada no console.
Eu caminho para a entrada, mas uma vez lá dentro, não paro para olhar ao redor. Square
Hammer de Ghost está tocando enquanto eu caminho através da multidão e faço o meu caminho
para o canto onde sei que vou encontrar o resto dos caras. Eles sempre escolhem os assentos do
canto quando a festa é aqui.
“Misha!” Alguém grita.

Eu olho para cima e aceno para um homem de pé com seus amigos perto de um pilar.
Mas continuo andando. Mãos tocam minhas costas e algumas pessoas dizem oi, mas
principalmente eu vejo todo mundo se movendo, o riso rivalizando com a música enquanto telas
de telefone aparecem e os flashes acendem ao redor de mim.
Eu acho que Dane estava certo. Todo mundo parece amar o evento.
Os caras estão exatamente onde eu pensei que estariam, sentados em sofás no canto.
Dane mexe no iPad, provavelmente gerindo o evento online. Ele está vestido em bermuda cargo e
uma camisa, seu traje habitual não importa a temperatura lá fora. Lotus prende seu cabelo preto
em um rabo de cavalo enquanto ele fala com duas garotas, enquanto Malcolm levanta o bong à
boca e acende o tronco, os cabelos castanhos encaracolados cobrindo seus, sem dúvida, olhos
vermelhos.
Impressionante.
“Tudo bem, estou aqui.” Eu me inclino para a mesa, pegando os cabos de guitarra que
um deles deixou derramar bebida em cima, e arremesso-os para o sofá. “O que vocês querem que
eu faça?”
“O que você acha?” Nosso baterista, Malcolm diz. Fumaça derrama fora de sua boca
enquanto ele sacode a cabeça para a multidão atrás de mim. “Eles querem você, garoto bonito. Vá
fazer as rondas.”
Eu atiro um olhar por cima do ombro, fazendo uma careta. “Isso, não.” Levantar e cantar
ou tocar uma guitarra é uma coisa. Eu tenho um trabalho, então sei o que fazer.
Mas isso? Socializar com pessoas que não conheço para levantar dinheiro? Precisamos
do dinheiro, e eu tenho os meus dons, mas conversa não é um deles. Eu não me misturo.
“Eu vou fazer a segurança,” eu lhes digo.

“Nós não precisamos de segurança.” Dane se levanta, com uma sempre presente sugestão
de um sorriso no rosto. “Olhe para este lugar. Tudo é incrível.” Ele caminha até mim, e ambos nos
voltamos para olhar para a multidão. “Relaxe e vá falar com alguém. Há toneladas de garotas
bonitas aqui.”
Eu cruzo meus braços sobre o peito. Talvez. Mas não vou ficar muito tempo esta noite.
Tenho essa música que ainda está na minha cabeça, e eu quero terminá-la.
Dane e eu observamos a multidão, e eu vejo as pessoas carregando cartões por aí, que
eles pegaram na porta. Cada um tem várias tarefas para completar para a noite do desafio.
Consiga uma imagem de uma pirâmide de seis pessoas.
Consiga uma imagem de um homem com batom.
Consiga uma foto de você beijando um estranho.
E, em seguida, algumas das tarefas ficam um pouco mais sujas.
Eles têm de enviar as fotos para o Facebook, marcar a página da nossa banda, e nós
vamos escolher um vencedor aleatoriamente para ganhar… alguma coisa. Eu esqueci. Eu não
estava prestando atenção.
Todo mundo tem que comprar um bilhete para entrar, mas desde que há um bar cheio,
isso claramente — a partir da aparência dele — não é difícil de desenhar uma multidão e levar as
pessoas a pagar o preço. Os barmens são supostamente treinados a pegar o cartão de todos, mas
sei que é besteira. Todo mundo bebe e fica afastado com isso nesta cidade.
“Então, como você está indo?” Pergunta Dane. “Seu pai e o seu caso de novo?”
“Estou bem.”
Ele faz uma pausa, e eu sei que ele quer pressionar para saber mais, mas ele deixa passar.
“Bem, você deveria ter trazido a Annie. Ela teria gostado disso.”
“Não é o caso.” Eu rio, o aroma de ervas

5
à deriva em minhas narinas. “Minha irmã está
fora dos limites. Você entendeu?”
“Ei, eu não disse nada.” Ele finge inocência, um sorriso arrogante no rosto. “Eu só acho
que ela trabalha muito e poderia ter um pouco de diversão.”
“Diversão, sim. Problemas, não,” eu corrigi. “Annie está em um bom caminho e não
precisa de distrações. Ela tem um futuro pela frente.”
“E você não?”
Eu sinto seus olhos em mim, o desafio persistente no ar. Eu não disse isso, disse?
Dane fica quieto por um momento, se perguntando se vou responder, mas novamente ele
apenas muda de assunto.
“Tudo bem, então vamos verificar isso,” diz ele, inclinando-se mais perto e segurando o
iPad na minha frente enquanto ele rola. “Quatrocentos e cinquenta e oito pessoas já fizeram
check-in. Vídeos e fotos estão sendo postados, centenas de tags, e as pessoas estão mesmo ao vivo
em seus próprios perfis… Isso funcionou melhor do que eu poderia ter imaginado. A exposição já
está valendo a pena. Os nossos vídeos do YouTube quadruplicaram em hits esta noite.”
Eu olho para a tela, notando o nome da nossa banda com um monte de fotos na timeline.
As bebidas são levantadas no ar, garotas sorriem e alguns vídeos tocam uma música enquanto isso
rola, mostrando o armazém.

“Você fez bem.” Eu olho para trás para fora no armazém. “Parece que a turnê foi
financiada.”
Eu tenho que concordar com ele. Todo mundo está se divertindo, e estamos ganhando
dinheiro.
“Venha amanhã,” digo a ele. “Eu tenho algumas letras que quero experimentar.”
“Tudo bem,” ele responde. “Agora me faça um favor e relaxe, por favor. Parece que você
está em um torneio de xadrez.”
Eu faço uma careta para ele e agarro o iPad fora de suas mãos, deixando-o retornar para
os caras, rindo.
Ainda abismado com toda a ação, eu verifico a timeline enquanto caminho,
reconhecendo muitos dos nomes de amigos e colegas que apareceram para nos apoiar. O cheiro
dos pequenos fogos dos braseiros flutua através das minhas narinas, e eu observo uma foto de um
cara com a palavra CAVALO escrito com caneta permanente sobre a braguilha. Uma garota aponta
para ele, posando para a câmera com a mão sobre a boca, surpresa. O subtítulo lê, Eu encontrei
um cavalo!
Eu dou uma risada. Claro, algumas das tarefas, como tirar uma foto de si mesmo com um
cavalo, não pode ser feita a menos que você realmente seja criativo. Bom para ela.
Há um zilhão de fotos e vídeos, e eu não sei como Dane vai classificar através de toda
essa merda amanhã. Embora, conhecendo-o, o vencedor não será aleatório e justo. Ele vai

escolher a melhor garota olhando pelas fotos.
Rolando para baixo, vejo um vídeo que começa a tocar, e eu vejo quando uma garota
pega uma pistola de bar6
, aponta-o para cima e para longe de si mesma, água pulverizando. Ele
atira para cima e depois de volta para baixo como uma fonte.
Ela executa um pequeno movimento sexy de dança e ri para a câmera. “Eu estou de pé
em uma fonte!” Ela anuncia, e seus seios quase todo amostra na sua parte superior da camiseta.
Isso mesmo, ela está usando uma camiseta no clima frio de fevereiro em New England.
Mas, em seguida, um dos bartenders arranca a pistola da mão da garota e coloca-a de
volta no lugar no bar, atirando-lhe um olhar irritado.
Eu ouço uma risada tranquila do outro lado da câmera.
A garota com a camiseta tenta pegar o telefone. “Ok, isso foi embaraçoso. Dê-me aqui.
Eu preciso editá-lo antes de publicar.”
“Uh, uh,” uma voz feminina atrás da câmera provoca quando ela se afasta.
Mas a garota da camiseta vai atrás dela gritando, “Ryen!” E então eu ouço o riso, e o
vídeo termina.
Eu fico ali, olhando para o iPad, o meu coração lentamente começando a bater no meu
peito.
Ryen?
A garota atrás da câmera se chama Ryen?
Não, não é ela. Não pode ser. Há milhares de garotas que provavelmente tem esse nome.
Ela não estaria aqui.
Mas eu olho para o vídeo, e meu olhar é atraído para os nomes no topo do post. Ela tinha

marcado a banda e algumas outras pessoas, mas então olho para o nome da pessoa que postou.
Ryen Trevarrow.
Eu endireito as costas, o peito subindo e descendo com respirações rápidas.
Meu Deus.
Merda! Eu imediatamente olho para cima, incapaz de me impedir de olhar toda a
multidão, à deriva de rosto em rosto.
Qualquer uma destas garotas poderia ser ela. Ela está aqui? Que porra é essa?
Olho para o iPad novamente e passo o dedo sobre o nome dela, hesitando.
Sete anos que a conheço, mas nunca vi seu rosto. Se eu procurá-la agora, não há como
voltar atrás.
Mas ela está aqui. Não posso deixar de procurar por ela. Não quando sei que ela poderia
estar tão próxima.
Isso é pedir demais a alguém.
E nós nunca fizemos promessas que não iriamos procurar um ao outro no Facebook. Nós
simplesmente dissemos que não iriamos nos comunicar por mídia social. Por tudo isso, não tem
como saber se ela me procurou. Ela poderia estar olhando para mim agora, sabendo que pertenço
a essa banda e que este é o nosso evento. Talvez seja por isso que ela está aqui.
Foda-se. Eu toco no nome dela e fico congelado quando seu perfil aparece.
E então eu a vejo.
Sua imagem aparece, meu estômago revira, e eu paro de respirar.
Cristo.
Os magros ombros sob os longos cabelos castanhos claros. Seu rosto em forma de
coração com lábios rosados carnudos e um olhar ousado em seus olhos azuis iluminados. A pele
brilhante e um belo corpo.
Pelo que posso ver, de qualquer maneira.
Deixo minha cabeça cair para trás e solto a respiração. Foda-se, Ryen Trevarrow.
Ela mentiu para mim.
Bem, não mentiu exatamente, mas eu tive a impressão em suas cartas que ela não parecia

assim.
Eu tinha imaginado uma geek com óculos com mechas roxas em seu cabelo, vestida com
uma camisa de Star Wars.
Eu olho para baixo em sua imagem, meus olhos passeando pelas suas costas, onde a
parte da sua pele espreita através da visão de sua camisa sexy, enquanto ela olha por cima do
ombro para a câmera. Meu corpo se aquece, e eu rapidamente verifico seu perfil, procurando
alguma pista — qualquer pista — que não seja ela.
Por favor Deus, não deixe que seja ela. Por favor, apenas seja doce, socialmente
desajeitada, tímida e tudo o que eu tenho amado por sete anos. Não complique isso por ser tão
quente.
Mas está tudo lá. Cada pista confirmando que é Ryen. Minha Ryen.
O check-in no Gallo, seu lugar favorito para pedir pizza, as canções que está ouvindo, os
filmes que ela está assistindo, e tudo postado com sua mais recente versão do iPhone. Sua posse
mais favorita no mundo.
Merda.
Eu desligo o iPad de Dane e começo a me mover em torno das pessoas enquanto escapo
por entre a multidão. Os braseiros aquecem o ar gelado, e eu passo por mais fogueiras, cheirando
os marshmallows assados. Música retumba dos alto-falantes ao redor, e eu flexiono meu queixo,
tentando acalmar meu coração.
Eu ando até o bar e coloco o iPad para baixo, girando e cruzando os braços sobre o peito.
Basta ficar parado. Se ela está aqui para me ver, ela vai me encontrar. Se não, então… O quê? Eu
vou deixar isso passar assim sem fazer nada?
“Oi.”

Eu viro meus olhos, meu coração caindo em meu estômago. A garota do vídeo está bem
em frente a mim, alguns centímetros de distância.
E ao lado dela…
Meus olhos bloqueiam em Ryen, e sei que sua amiga acabou de falar, mas eu não me
importo. Ryen fica em silêncio ao seu lado, os olhos um pouco semicerrados, olhando para mim,
hesitante.
Seu cabelo é longo e liso — não enrolado como na foto do Facebook — e ela está usando
uma camisa com ombros a mostra e jeans skinny rasgado parecendo bem surrados. Eu posso ver
pequenas partes de suas coxas.
Ryen. Minha Ryen. Eu aperto meus punhos debaixo dos meus braços, meus músculos
tensos.
Ela não está dizendo nada. Será que ela sabe quem eu sou?
Eu ouço a amiga limpar a garganta, e pisco arrastando meus olhos para ela e finalmente
respondendo. “Oi.”
A garota da fonte ergue a cabeça para mim. “Então, eu preciso de um beijo,” diz ela com
naturalidade.
Eu respiro superficialmente, tão consciente de Ryen que dói.
“Você quer isso agora?” Eu digo, percebendo seu cabelo longo escuro derramando em
torno de um lenço que ela usa com um top cinza. Isso porque está quase congelando aqui.
Ela aponta para o seu cartão. “Sim, é da minha noite do desafio.”
E então seus olhos caem pelo meu corpo, um sorriso brincalhão em seus lábios. Acho
que isso significa que ela quer um beijo meu?
Ela dá um passo em frente, mas antes que ela chegue muito perto, pego o cartão de sua
mão e olho.

“Engraçado. Eu não vejo isso aqui,” eu digo, entregando-o de volta.
“Estou fazendo isso por ela,” explica ela, lançando um olhar para a amiga. “Ela é tímida.”
“Eu sou exigente,” Ryen responde, e eu rapidamente viro meus olhos sobre ela outra vez,
sua resposta petulante me provocando.
Ela ergue a cabeça desafiadoramente, me olhando diretamente nos olhos.
Então isso significa que não sou digno para você? Bem, bem… eu escondo meu sorriso.
“Lyla!” Alguém grita nas proximidades. “Oh, meu Deus, venha aqui!”
A amiga de Ryen vira a cabeça para um grupo de pessoas a esquerda e ri de tudo o que
eles estão fazendo. Ela deve ser Lyla então.
Ela se vira para mim. “Eu já volto.” Como se eu me importasse. “Só, por favor, beije-a.
Ela precisa.” E então ela percebe que Ryen atira-lhe um olhar irado e se vira para mim,
esclarecendo, “Por sua noite do desafio, quero dizer.”
Ela vai embora, rindo. Eu quase espero que Ryen a siga, mas ela não faz.
É apenas nós dois agora.
Um suor frio irrompe na parte de trás do meu pescoço, e eu olho para Ryen, ambos
encarando em um silêncio constrangedor.
Por que ela não está dizendo nada? Ela tem que saber quem eu sou. Claro, ela não sabe
que formei uma banda recentemente, porque eu queria surpreendê-la com uma fita demo da antiga
escola para nossa formatura em poucos meses, mas é quase impossível ser invisível nos dias de
hoje. Nossos nomes e fotos estão em nossa página do Facebook e os cartões na entrada. Ela está
de brincadeira comigo?
Ela muda sua postura, e vejo seu peito subir com uma respiração pesada, como se
estivesse esperando que eu diga alguma coisa. Quando não faço isso, ela deixa escapar um suspiro

e olha para o seu cartão. “Eu também preciso de uma foto comendo algo no estilo A Dama e o
Vagabundo com alguém.”
Eu mantenho meus braços cruzados e estreito meus olhos sobre ela. Ela vai continuar
com esta charada?
“Ou…” ela continua, parecendo irritada, provavelmente porque eu não respondi. “Eu
preciso de uma foto de uma foto de uma foto. Ou seja lá o que isso significa.”
Eu permaneço em silêncio, ficando um pouco chateado que ela está agindo sem noção.
Sete anos, e é assim que você quer me conhecer, Anjo?
Ela balança a cabeça, agindo como se eu fosse o único a ser rude. “Ok, não importa.” E
ela se vira para ir embora.
“Espere!” Alguém chama.
Dane corre atrás de Ryen, parando-a, e, em seguida, caminha até mim, repreendendo em
voz baixa, “Cara, por que você está olhando para ela como se ela tivesse batido na sua avó?
Merda, cara.”
Ele se vira para Ryen e sorri. “Ei. Como vai você?”
Eu abrando meu olhar furioso, mas apenas por um momento. Será que ela realmente não
sabe quem sou eu?
Eu acho que não haveria muita gente aqui que não tenha ouvido falar de nós. Nós não
somos famosos, e esta é provavelmente a única coisa acontecendo em um raio de cinquenta
milhas, então por que ela não estaria aqui, se pode ser apenas porque não há mais nada para fazer?
Talvez ela não tenha nenhuma pista da porra que está de pé na frente de Misha Lare
agora. O garoto que ela está escrevendo cartas desde que tinha onze anos.
“Qual é seu nome?” Dane pergunta a ela.

 

Ela se vira, os olhos piscando para mim, indicando claramente a guarda levantada agora.
Graças a mim.
“Ryen,” ela responde. “Você?”
“Dane.” E então ele se vira para mim. “E esse é—” Mas jogo a minha mão, batendo-lhe
levemente no seu estômago.
Não. Não assim.
Ryen vê a troca e franze as sobrancelhas, deve estar se perguntando qual é o meu
problema.
“Então você vive em Falcon’s Well?” Dane continua, pegando a minha sugestão e
mudando de assunto.
“Sim.”
Ele balança a cabeça, e os dois ficam ali, se encarando em silêncio.
“Ok, então…” Dane bate as mãos juntas. “Eu ouvi você dizer que precisava comer algo
no estilo A Dama e o Vagabundo?”
Sem esperar por uma resposta, ele alcança por cima do bar e procura por algo nos
recipientes de enfeites.
Ele pega uma fatia de limão e Ryen estremece. “Um limão?”
“Eu desafio você em um Triple-dog,
7
” ele diz.
Mas ela balança a cabeça.
“Ok, espere,” ele insiste, e eu continuo olhando para ela, incapaz de tirar os olhos
enquanto tento processar que porra de Ryen é essa.
Observo seus dedos finos que me escreveram quinhentas e oitenta e duas letras. O queixo
onde sei que ela usa maquiagem para encobrir uma pequena cicatriz que tem lá devido uma queda
durante patinação no gelo quando ela tinha oito anos. O cabelo que ela me disse que amarra para
trás todas as noites, porque ela diz que não há inferno pior do que acordar com o cabelo em sua
boca.
Eu tive só tive seis namoradas, e todos elas eu conheci dez vezes menos do que conheço
esta menina.
E ela realmente não tem ideia…

Dane volta com um espeto de madeira, a ponta segurando um marshmallow assado de
uma das fogueiras.
Ele vem e empurra-o para mim. “Coopere, por favor.”
E então ele se vira para ela e agarra seu telefone. “Vá em frente. Vou tirar a foto.”
Os olhos divertidos de Ryen piscam para mim, imediatamente se transformando em
escuros, porque ela claramente não quer comer nada no estilo A Dama e o Vagabundo comigo.
Mas ela não recua ou finge timidez. Chegando mais perto, ela pega um banquinho do bar
e pisa nas pontas dos dedos para elevar-se mais. Ela não é baixa, mas ela é definitivamente menor
que os meus 1,82m. Inclinando-se com os lábios entreabertos, ela olha nos meus olhos, e a porra
do meu coração fica alucinado. Leva tudo o que tenho para não relaxar meus braços e tocá-la.
Mas ela para. “Eu estou me aproximando de você com a minha boca aberta,” ressalta.
“Você tem que me mostrar que quer isso.”
E eu não posso segurar. O canto da minha boca levanta em um pequeno sorriso.
Porra, ela é sexy.
Eu não esperava isso.
E eu desisto. Eu seguro o marshmallow e abro a boca, segurando seu olhar enquanto
ambos nos inclinamos e damos uma mordida, parando um momento para que Dane tire a foto.
Seus olhos bloqueiam sobre os meus, e eu posso sentir sua respiração em meus lábios enquanto
seu peito sobe e desce.
Meu corpo está em chamas, e quando ela se inclina mais perto para morder um pedaço a
mais, seu lábio roça o meu, e eu gemo.
Eu me afasto, e engulo o maldito pedaço. Droga.
Ela mastiga o pedaço de marshmallow, lambendo os lábios e descendo do banco.

“Obrigada.”
Eu concordo. Eu posso sentir os olhos de Dane em mim, e eu tenho certeza que ele sabe
que algo está errado. Eu lanço o espeto para baixo no balcão do bar e encontro seus olhos. Ele
está com um sorriso no rosto.
Idiota.
Sim, tudo bem. Eu gostei do marshmallow, Dane. Eu gostaria de comer uma dúzia deles
com ela. Talvez eu não corra para casa com tanta pressa ainda, ok?
O meu telefone vibra no meu bolso, e eu o pego, vendo o nome de Annie. Eu bato em
Ignorar. Ela provavelmente está se perguntando onde estou com seus lanches. Vou chamá-la de
volta em um minuto.
“Então…” diz Dane. “Todas essas fotos, que você está postando na página… você não tem
um namorado ciumento que vai vir nos caçar, certo?”
Eu fico tenso. Ryen não tem um namorado. Ela teria me dito.
“Não,” ela responde. “Ele sabe que eu não posso ser amarrada.”
Dane ri, e eu fico lá parado, ouvindo.
“Não, eu não tenho um namorado,” ela responde sério, finalmente.
“Acho isso difícil de acreditar—”
“E eu não estou procurando por um, também,” ela corta Dane. “Eu já tive um uma vez, e
você tem que banhá-los e alimentá-los e caminhar com eles…”
“Então o que aconteceu?” Dane pergunta.
Ela encolhe os ombros. “Eu tinha reduzido os meus padrões. Muito baixo,
aparentemente. Depois disso, eu tenho sido mais exigente.”
“E algum homem está dentro de suas expectativas?”
“Um.” Seus olhos viram para mim e depois voltam para Dane. “Mas eu nunca o

conheci.”
Um. Apenas um cara que cabe em suas expectativas. Será que ela quis dizer eu?
O meu telefone vibra novamente, e eu o pego do meu bolso, silenciando-o.
Eu olho para cima e vejo flashes e detecto pessoas tirando uma foto na frente da parede
de grafite a direita.
Eu dou um passo e pego seu telefone, surpreendendo-a. Caminhando ao redor dela, eu
ligo a câmera, mudando para o modo de selfie, e inclino para cima, capturando nossos rostos na
tela. Mas eu o ajusto para incluir também o cara atrás de nós, tiro uma foto de duas garotas na
frente das imagens dos grafites. “Uma foto…” — eu falo baixo em seu ouvido, indicando nossa
selfie — “de uma foto” aponto para o cara atrás de nós na tela tirando uma foto — “de uma foto.”
E eu gesticulo para a parede dos grafites que eles estão de pé em frente.
Um sorriso finalmente irrompe no seu rosto. “Isso foi inteligente. Obrigada.”
E eu clico na foto, salvando o momento para sempre.
Antes de se afastar e dizer adeus, eu inalo o cheiro dela, congelado por um momento
enquanto sorrio para mim mesmo.
Você realmente vai me odiar, Anjo, quando finalmente descobrir tudo e juntar as peças.
Ryen pega o telefone e lentamente se afasta, olhando para trás, por cima do ombro para
mim antes de desaparecer em uma multidão de pessoas.
E eu já a quero de volta.
Eu passo a mão no meu bolso e puxo o meu telefone, discando para minha irmã. Será
que ela vai me odiar muito se eu pedir-lhe para ir buscar seus próprios lanches? Eu não tenho
certeza que estou pronto para sair daqui, na verdade não estou.

Mas quando ligo de volta, não há nenhuma resposta.

CAPÍTULO 2

Três meses depois…

666