in

A Banalização do PSYTRANCE e o atual momento da cena Underground do Brasil

Música, conceito e psicodelia: um breve relato para lembrar e alertar sobre a importância do PsyTrance

A cria do underground que se torna popular e começa a sofrer assédio após atingir as massas, essa história não é nova no mundo da música, mas é uma discussão cada vez mais presente na vida dos frequentadores de festas de PsyTrance, visto que é uma cultura que chegou há apenas pouco mais de 20 anos no Brasil.

Torna-se uma discussão mais delicada, visto que quando falamos de PsyTrance não estamos falando de apenas um ritmo musical, mas sim de um estilo de vida.

Então não se trata só do que você ouve em seu fone de ouvido ou de qual festa irá ao fim de semana. Se trata também de um movimento de contracultura, frequentar essas festas está intrinsecamente ligado a questionar valores pré-estabelecidos e a busca pelo entendimento do que a música pode realizar de mudanças quando aplicada com seu devido propósito.

Falo de propósito, assim não caímos no campo da subjetividade. Talvez o maior problema que a cena enfrenta, é que o público que opta pelo som comercial não entende que a discussão levantada não se trata de gosto, aqui não estou falando de gosto pessoal ou de melhor/pior, estou apenas lembrando que o PsyTrance tem um propósito desde que foi criado, que é conseguir através da dança, levar o ouvinte a uma viagem que envolve não só sensações prazerosas fisicamente falando, mas também a expansão da consciência e até mesmo cura através de meditação e auto-conhecimento.

Não se pode alcançar nada disso quando a construção do som é composta por muitos breaks e com foco na euforia de um “Drop”, é preciso dizer que essa euforia, é uma sensação genérica se comparada ao que uma viagem longa e sem quebras pode proporcionar. As críticas que são feitas ao som que de maneira pejorativa é chamado de “Prog Farofa”, existem justamente pelo fato do som não ter uma construção psicodélica e não levar o ouvinte ao estado de transe.

Esse é o ponto principal, quem já provou do que a música psicodélica pode oferecer em sua melhor forma, entende não se tratar de uma simples questão, ou de “mimimi”, ou de algo que pode ser apenas relevado. Essa é uma bandeira que merece ser levantada sempre, pois por mais que o ouvinte não concorde, caso ele seja uma pessoa curiosa, irá buscar entender o motivo do porque batemos tanto nessa tecla, e nessa busca ele irá conseguir alcançar uma nova percepção que o fará entender o porquê de tudo isso.

Claro que isso irá acontecer apenas com uma parcela, que eu gosto de dizer que são só curiosos. Vale lembrar que as pessoas vão com diferentes propósitos para os festivais, e que aqui, eu estou me referindo apenas sobre o propósito principal que é: Absorver o que de melhor a música psicodélica tem.

Não é simples saber o que irá acontecer com a cena perante esse crescimento desenfreado, resta as pessoas que já frequentam e entendem do conceito, tentarem ao máximo transmitir isso pra quem está chegando. Para que a proporção de pessoas que entendem o total poder da música, possam acompanhar o número de novos adeptos da cena, precisamos cada vez mais de pessoas que apoiem e remem para o mesmo lado, o único lado, porque como disse: “não estou falando de opinião”, o conceito do PsyTrance já está estabelecido desde sua criação, e ele não deve se adaptar as pessoas que passam a frequentar as festas. As pessoas que passam a frequentar as festas que devem se adaptar ao que o PsyTrance exige.

Então por mais que nos últimos anos vimos o mercado fazendo uma força para comercializar ao máximo esse conceito, e conseqüentemente o público embarcando nessa, é de suma importância que exista uma força contrária para mostrar a importância da música, e que ela será valorizada em sua melhor forma. É o famoso trabalho de formiguinha, e que resultará em uma cena com mais pessoas tendo acesso ao verdadeiro e único PsyTrance.

Vamos apoiar os artistas e festas que prezam pelo real conceito, é esse apoio que pode mudar as coisas, a cena somos nós e se fizermos nossa parte, o reflexo irá aparecer, o PsyTrance muda a vida das pessoas e elas merecem saber disso.

 

 

A MENTE E A EXPERIÊNCIA PSICODÉLICA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...

0

Comentários

0 escreva algo

O que você acha?

Written by Welker Carvalho

Idealizador do projeto Full On Day, DJ e frequentador assíduo da pista de dança.

 Qual você prefere ir aos finais de semana?

Qual seu tipo de festa ideal?

Qual é seu tipo de festa ideal?